terça-feira, 22 de abril de 2008

Queima das Fitas


Procurava hoje um poema, para a fita de um poeta. Abri o livro ao acaso e, o acaso foi certeiro.
Reparei que coincide com o meu estudo actual de Kant. E um poeta, explica assim de modo fácil, que não podemos conhecer as coisas an sich, e o que conhecemos das coisas, depende de cada um de nós. Qual D. Quixote, às vezes também eu uso óculos côr-de-rosa!

....
Nas ruas ou nas estradas
onde passa tanta gente,
uns vêem pedras pisadas,
mas outros, gnomos e fadas
num halo resplandecente.

Inútil seguir vizinhos,
querer ser depois ou ser antes.
Cada um é seus caminhos.
Onde Sancho vê moinhos
D. Quixote vê gigantes.

Vê moinhos? São moinhos.
Vê gigantes? São gigantes.

De António Gedeão - Impressão Digital

2 comentários:

Loucura disse...

Visitem, pls!

elesnaosabemqueeusonho.blogspot.com

Wendel Cavalcante disse...

Que legal esse texto!
Convido você a visitar e nos brindar com sua opinião o Blog www.estradasou.blogspot.com